Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
27/06/23 às 19h23 - Atualizado em 3/07/23 às 16h48

Samu recebe mais de 2,6 mil novos equipamentos de segurança

Expostos a atendimentos de urgência e de emergência em locais não controlados, como vias públicas e domicílios, os profissionais do Samu passam por treinamento para o uso correto dos EPIs

 

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) recebeu mais de 2,6 mil novos equipamentos de proteção individual (EPIs). Os itens somam um investimento de R$ 1,086 milhão e foram adquiridos por meio de emenda parlamentar. Com o reforço, será possível cobrir todo o corpo técnico do Distrito Federal.

 

Durante a entrega, no Parque de Apoio da Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), a governadora em exercício Celina Leão evidenciou o trabalho da instituição: “O Samu oferece um atendimento de excelência, não só aqui no Distrito Federal, mas em todo o Brasil. Essas aquisições chegam para fortalecer todo o trabalho realizado”.

 

Entre os equipamentos estão 800 conjuntos térmicos (capas de chuva), 800 coturnos e 940 joelheiras. Atualmente, o Samu possui 776 servidores e todos podem ser acionados, mesmo aqueles em funções administrativas. Por isso, a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, destacou a importância de ampliar os EPIs.

“Todo esse material faz a diferença na hora de salvarmos vidas. O bem-estar dos nossos profissionais é indispensável na garantia do atendimento zeloso que o Samu leva à população”, explicou a secretária.

 

A chefe da pasta ainda ressaltou que também constam nas aquisições 25 unidades de cada um dos seguintes equipamentos: macacões antichamas, japonas (casacos de tecido grosso), luvas antichamas e conjuntos de inflajack (macacão de proteção para motociclistas). O Samu conta com 23 tripulantes de motolâncias e 25 aeromédicos, que atuam no helicóptero do Corpo de Bombeiros e farão uso diário das proteções.

 

Enfermeiro do Samu há 14 anos, Renato da Silva Ferreira atua no grupamento de motos e foi o primeiro a receber os novos equipamentos. “É muito gratificante. Com esse material, podemos oferecer o apoio à população com maior destreza e com a tranquilidade de saber que nós também estamos resguardados, seguros”, comemorou.

 

Segurança

 

Com os novos materiais, a SES-DF busca garantir um serviço ainda mais ágil e de qualidade. “Devemos lembrar que a segurança da equipe de socorro e atendimento vem em primeiro lugar. O risco sempre fará parte do trabalho. Então, temos de fornecer as ferramentas adequadas para o cumprimento dessa missão. A segurança dos profissionais resulta em uma operação mais rápida, resolutiva e segura para a população”, afirma o diretor do Samu, Victor Arimatea

 

Expostos a atendimentos de urgência e de emergência em locais não controlados, como vias públicas e domicílios, os profissionais do Samu passam por treinamento para o uso correto dos EPIs. Segundo o Núcleo de Educação em Urgências (Nuedu) do Samu, antes de todas as simulações, é reforçada a necessidade dos equipamentos de proteção.

“As condições de trabalho são completamente diferentes daquelas de um ambiente controlado. Na rua, enfrentam-se os riscos físicos inerentes ao local do atendimento e à exposição a riscos biológicos”, explica Victor.

 

No treinamento também são feitas as indicações do EPI adequado para a assistência de acordo com a patologia provável do paciente. Com a covid-19, por exemplo, foram feitos vídeos institucionais com o passo a passo para o devido uso das máscaras N95, a paramentação e a desparamentação.

 

Apoio parlamentar

 

A emenda que possibilitou o processo licitatório para os novos equipamentos é de autoria do deputado distrital Jorge Vianna. Presente na cerimônia, o parlamentar celebrou a entrega e ressaltou a importância em garantir boas condições de trabalho, segurança e saúde emocional aos profissionais que fazem o atendimento emergencial, muitas vezes em situações de alto estresse e de risco.

 

Outra emenda do parlamentar também permitiu a compra de aparelhos de ar-condicionado para a SES-DF. Neste caso, foram investidos R$1 milhão para os hospitais e R$ 800 mil para a Atenção Primária, destinados à aquisição dos equipamentos.

 

*Com informações da Secretaria de Saúde