Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/09/19 às 15h56 - Atualizado em 2/09/19 às 15h56

Instituto de Gestão Estratégica apresenta planejamento com 15 metas

COMPARTILHAR

Com uma verba de aproximadamente R$ 80 milhões, o Governo do Distrito Federal tem investido em ações na saúde pública que envolvem desde a humanização do atendimento até reformas estruturantes e modernização tecnológica. As três principais medidas adotadas foram reforma e trabalhos de manutenção de infraestrutura, abastecimento de produtos medicamentosos e insumos e a contratação de mais de 2,4 mil profissionais.

 

Esses dados compõem uma relação de 15 metas estratégicas que, reunidas no documento intitulado Planejamento de Macroprocessos Julho 2019/Dezembro 2020, foram apresentadas nesta segunda-feira (2), no Palácio do Buriti, por representantes do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF).

 

“Temos um balanço positivo das ações traçadas para ampliar a qualidade de atendimento à população”, destacou, durante a apresentação do balanço, o vice-governador Paco Britto. “Desde a implantação [do Iges-DF], tivemos diversas frentes de trabalho para melhorar o funcionamento das oito unidades de saúde sob gestão do Iges-DF”, enumerou, citando o Hospital de Base (IHBDF), o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do DF.

 

Reformas

 

Foram investidos recursos de R$ 1,5 milhão na reforma das UPAs. A primeira contemplada foi a unidade de Ceilândia, considerada a mais precária entre as seis estruturas, e a última foi a de Sobradinho. Entre as principais atividades realizadas nas UPAs, destacam-se manutenção do sistema elétrico, adequação do sistema hidráulico, conserto de portas e maçanetas, instalação de tubulações de oxigênio e de ar-comprimido em algumas unidades, limpeza e troca dos aparelhos de ar-condicionado, além da reposição de equipamentos como eletrocardiógrafos e aparelhos de pressão, ventiladores, entre outros.

 

No setor de eficiência energética, foram investidos R$ 290 mil na renovação de lâmpadas e em outros equipamentos. O presidente do Iges-DF, Francisco Araújo, lembrou que a saúde do DF se encontrava em processo deteriorado. “Não é fácil mudar [a situação] de uma hora para outra”, ressaltou. “Ninguém na federação fez isso [ações na saúde] em oito meses”.

 

Segundo o diretor de apoio operacional do Iges-DF, general Manoel Pafiadache, nos próximos dias, representantes de seu setor vão se reunir com a CEB. Nesse encontro, será discutida a construção de uma nova estação, dentro da meta do programa de eficiência energética.

 

Mais contratações

 

O Iges/DF também lançou um edital de contratação de 2.420 profissionais, para recompor os recursos humanos nas UPAs, no HRSM e no HB.  Foram mais de 44 mil inscritos, dentre os quais, até o momento, mais de 1,6 mil já se encontram nos postos de trabalho.

 

Outras ações compreendem reabertura de leitos hospitalares – só no HB, foram reabertos 26 –, entrega de cadeiras de rodas e de banho e reabilitação das centrais telefônicas. Desde janeiro deste ano, as cirurgias realizadas nos hospitais da rede de saúde do DF chegaram à marca de 39.162.

 

O Iges-DF

 

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal é um Serviço Social Autônomo (SSA), ou seja, pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos, de interesse coletivo e de utilidade pública. Possui regulamentos próprios para contratação de recursos humanos e aquisição de bens e serviços, o que permite dar respostas em tempo hábil à população do DF. O modelo de gestão é menos burocrático, contando com autonomia financeira e ferramentas administrativas mais ágeis.

 

O Iges-DF foi criado após a aprovação do projeto de lei nº 1/2019, enviado pelo governador Ibaneis Rocha à Câmara Legislativa do DF (CLDF). Votado e aprovado em 24 de janeiro deste ano, o texto, sancionado na Lei nº 6.270, de 30 de janeiro de 2019, ampliou o modelo, incluindo, além do Hospital de Base, o Hospital Regional de Santa Maria e as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

 

Planejamento/metas

 

1 – Programa de eficiência energética e construção de nova subestação elétrica

 

2 – Reestruturação do Núcleo de Medicina Nuclear, com instalação do equipamento de Tomografia Computadorizada por Emissão de Pósitrons (PET-CT).

 

3 – Reestruturação dos serviços de radiologia, com modernização do parque tecnológico

 

4 – Reestruturação e ampliação dos serviços de radioterapia e oncologia

 

5 – Reforma do bloco de emergência do Hospital de Base (pronto-socorro, centro cirúrgico e UTI)

 

6 – Abertura de seis novas UPAs e habilitação de todas as unidades

 

7 – Reestruturação da unidade de psiquiatria

 

8 – Programa de eficiência em logística

 

9 – Modernização do parque tecnológico da hemodiálise

 

10 – Reforma e adequação da Central de Manipulação de Quimioterápicos

 

11 – Implantação de plataforma de ensino a distância no Hospital de Base

 

12 – Implantação de novos sistemas de prontuário eletrônico e gestão em toda a rede do Iges-DF

 

13 – Implementação do projeto Humanizar

 

14 – Implantação de simulação realística

 

15 – Registro na Organização Nacional de Acreditação (ONA).

 

 

*Com informações do Iges-DF